Câmara Técnica de Medicina do Esporte do CFM lança cartilha informativa sobre Medicamentos e Suplementos nos exercícios e esportes

por: NK Advocacia - 11/05/2018

A Câmara Técnica de Medicina do Esporte do Conselho Federal de Medicina (CFM) em contribuição com a Sociedade Brasileira de Medicina do Esporte (SBMEE), Comitê Olímpico Brasileiro (COB), Comitê Paraolímpico Brasileiro (CPB), Confederação Brasileira de Futebol (CBF) e a Autoridade Brasileira de Controle de Dopagem (ABCD), elaborou um guia prático com o objetivo de oferecer informações e subsídios para todos os médicos que, em algum momento, participam da rotina de atletas, esportista e praticantes de atividades físicas.

 

O guia foi elaborado com uma linguagem clara e didática, podendo ser consultado inclusive pelos próprios desportistas, este documento traz orientações adequadas sobre os riscos e limites a serem respeitados com relação ao uso de produtos e substâncias no tratamento médico dos atletas.

 

O texto traz ainda, informações sobre substâncias consideradas válidas, mas com consumo não liberado entre competidores por interferirem em seu desempenho e por provocarem ganho de força, velocidade ou resistência.

 

A cartilha apresenta uma lista de substâncias e métodos proibidos, nas diferentes modalidades de esportes (tiro com arco, automobilismo, golfe, etc.), bem como o procedimento que deve ser observado em atletas com prescrição de tratamento com substância proibida.

 

Ademais, informa quais são os fármacos permitidos, alerta que muitos produtos têm nomes semelhantes, e que a responsabilidade final do uso desses medicamentos será principalmente do atleta e diretamente do médico que a prescreveu.

 

Além do lançamento do guia, marcado para hoje no IV Fórum de Medicina do Esporte, em Brasília (DF), o Conselho Federal de Medicina e as outras entidades que colaboraram com a elaboração do documento, devem anunciar ainda um esforço conjunto para combater o doping. A intenção é conscientizar de um lado os competidores sobre os riscos do uso inadvertido de fórmulas e os médicos e os profissionais da saúde sobre os efeitos que determinados medicamentos podem gerar.

 

O advogado Luís Fernando Pamplona Novaes, sócio da Nemetz e Kuhnen Advocacia e responsável pelo Núcleo de Direito Desportivo, ressalta que “este documento será de grande utilidade para os profissionais do esporte de alto rendimento, atletas, treinadores e médicos ante a falta de informação consistente e confiável sobre substâncias proibidas no Brasil”.

 

 

Fonte: Conselho Federal de Medicina



Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *